quinta-feira, junho 26, 2008

PRÉMIO - Galardão do Sidadania












Fui galardoada com a ordem do Sidadania a quem agradeço muito, porque blogues como estes serão sempre uma mais valia para aprendermos através dos testemunhos na primeira pessoa de como lidar, ajudar e entender quem é surpreendido nas esquinas dolorosas da vida, o que poderá acontecer a qualquer um de nós.
Obrigado Raul, Paulo e todos os que visitam os vossos blogues.

21 Comments:

Blogger Paulo said...

Fatyly
Em nome do Sidadania e em meu próprio nome, aceita este prémio como totalmente merecido, pelo fantástica pessoa que és, pela experiência de vida que tens, pela solidariedade que praticas, pelo ser humano que demonstras ser em todos os minutos da tua vida.
Para mim, és uma referência.
Em meu nome confesso-te: Foi o galardão que mais me emocionou em entregar, por todas as razões.
Muita, muita saúde e que estejas sempre na nossa companhia, pois precisamos de ti, como de pão para a boca.
Beijinho especial.

26/6/08 20:35  
Blogger Fatyly said...

Paulo
Todos precisamos uns dos outros e agradecida fiquei eu, porque o que escrevo fica à vista de todos e quem me conhece sabe bem que é a mais pura verdade. A vida é tão complicada e há quem complique ainda mais quando giram apenas em torno do seu umbigo e afinal de contas é na simplicidade das coisas que vamos encontrar as baterias desejadas para seguirmos em frente.

Um beijo rapaz e acredita na vida!

26/6/08 21:17  
Blogger wind said...

É um prémio mais que merecido, pois lutas por causas humanitárias, andas para a frente, não baixas os braços, és uma guerreira:)
Oxalá houvesse mais gente como tu:)
Beijocas

26/6/08 21:49  
Blogger sideny said...

fatyly

foi merecido o premio que lhe deram
fizeram muito bem pois luta por outras causas tambem.
parabens.

quando li no sidadania que anda arreliada por causa dos gatos,fiquei triste pois tambem dou comer a uns que nasceram nas minhas traseiras.
custa ve-los passar fome e sede com este calor .
os animais tambem precisam de quem os protegam.
nem sempre sobrevivem sozinhos,
nao leve a mal o que escrevi.
mas gosto mais de animais do que certos humanos.
bej

26/6/08 22:10  
Blogger peciscas said...

Acho que dificilmente se poderia encontrar pessoa mais merecedora desta distinção do que tu.
Um carinhoso beijo para ti e um forte abraço para o Raul.

26/6/08 22:29  
Blogger O Profeta said...

Hoje o Mar adormeceu na Aurora
O dia desponta em doce calmaria
Um barco cede ao embalo do vento
Uma gaivota na escarpa o ninho vigia

Hoje o Sol pintou de luz o verde
As hortênsias são nuvens na terra
Plantadas por um deus romântico
No sortilégio que esta ilha encerra


Bom fim de semana


Mágico beijo

27/6/08 13:02  
Blogger Fatyly said...

Wind
e há mais gente como eu sim senhora, tu por exemplo também és uma guerreira e pensa bem no que te estou a dizer:)

Sidney
Acho muito bem que digas o que pensas e sentes, longe de mim levar a mal, porque jamais devemos deixar de dizer o quer que seja. Não gostam, paciência.
Não meu amigo, as palavras por vezes são traiçoeiras e podem induzir em erro e nisso eu sou uma barra (gargalhadas).
A guerra dos gatos é entre os moradores da praceta e da minha rua, incluindo eu, ou seja dão-lhes comida e deixam ficar a lixeirada de caixinhas, restos de comida, atiram dos andares sacos com restos, chegam a pôr metades de queijo (gato come queijo????) que apodrece e nem te passa pela cabeça as vezes que eu, sim eu, já limpei com criolina e água aquele espaço público que desemboca num jardim, porque ao passarmos o cheiro é terrível para não falar da quantidade de lagartas, ratazanas e moscas. Há quem fale e refile porque moram mesmo ao lado, mas limpar? tá quieto, ou seja esperam sempre que quem o fez é que deverá limpar. Eu procedo de forma diferente, não lhes ponho comida, mas limpo de vez em quando e não me caí os parentes na lama.
Mas tenho o cuidado de deixar num canto, a caixa da água e a caixa com crocantes porque também gosto dos bichos e sou incapaz de fazer-lhes mal.
Agora raramente se vê restos de comida porque dão-lhes crocantes.
O meu gato Pompom só durou 20 anos prova mais que cabal de como procedo com os animais.
Se os gatos que protejes (o que jamais condeno)nasceram há pouco tempo, a mãe por saber que lhes dão de comer, abandona-os mais cedo e espera sempre por isso:)

Depois se há pessoas com fome e basta estar atento aos que dormem na rua, achas bem irem comprar comer ao pronto a comer e dar aos gatos? Não concordo de forma alguma.
Os gatos de rua se forem alimentados perdem as suas capacidades felinas de caça. Mas respeito quem o faça mas que assumam o civismo em prol de uma sociedade.
Com tudo isso meu amigo a procriação é cada vez mais e se olhares bem: de quatro ou cinco gatos um ano depois já são 15 ou vinte. Sem defesas adquiridas pela sua natureza, tornam-se indefesos e morrem atropelados ou são caçados por cães vadios ou numa imundice pelas ratazanas.
Essa tua frase: gosto mais de animais de que certos humanos, é muito antiga e como é óbvio, eu também a subscrevo.

Peciscas
Também és um justo merecedor de todos os prémios:)

Profeta
um poema lindissimo. Bom fim de semana

Beijos a todos e obrigado pela vossa presença

27/6/08 14:01  
Blogger sideny said...

desculpa novamente
mas toda a vida vivi com caes que adoro, hoje em dia tenho 2 gatos um deles trouxe la das traseiras que eu e o meus filho criamos a bibrom,
mas e uma guerra pegada com as vizinhas, ja pedi a camara para vir busca-los, so veem se alguem ficar responsavel pelas gaiolas,como eu vivo no 1 andar claro que nao tenho acesso aos quintais nao posso me responsabilizar pelas ditas gaiolas, as vizinhas dos quintais tambem tiram o cavalinho da chuva nesse assunto.nao querem la as gaiolas.
como tal a guerra continua e ate ja veio ca a policia a casa mas como lhes dou racao nao ha vestigios de comer nada feito.
agora diga-me como hei-de fazer ?os gatos cada vez sao mais claro.bom fim de semana

27/6/08 14:31  
Blogger xistosa - (josé torres) said...

Bem entregue ... há pessoa que não conheço, mas sei, que em tudo, emprega a sua generosidade indiscriminadamente.

27/6/08 15:22  
Blogger LB said...

Merecidíssimo! :)
Parabéns

Beijinho

27/6/08 15:29  
Blogger Fatyly said...

Sidney
Uma pergunta tem sempre uma resposta:
O que deves fazer não sei mas o que eu faria na tua situação:
- Se habituei os gatos a comerem na minha casa - sem quintal -, não os deixaria ir mais para a rua. OU se fossem para a rua não vinham mais para casa
- Se tivesse quintal não ficaria com gaiolas a ver um bicho a espreniar. Se os da rua ou até eventualmente algum gato de um vizinho, andasse no meu quintal, deixaria, mas não dar-lhe-ia de comer para que os seus hábitos se mantivessem. Jamais chamaria a polícia que tem muito mais que fazer.

Na minha modesta opinião o culpado foste tu e aí tens que encontrar uma saída pela regra da boa educação e civismo em prol de uma comunidade, não de gatos, mas de seres humanos

Eu preocupo-me mais pelo ser humano que tem fome e está doente, do que gatos que nasceram na natureza da rua e à natureza pertencem.
Mas nós os humanos temos a mania de mudar o rumo da natureza.

Vou dizer-te algo que te irá chocar, mas eu passei por isso: nos três anos que vivi na brutal guerra civil, com fome, muita fome, indo buscar algo atrás do sol posto debaixo de fogo e por vezes pela calada da noite mesmo com o recolher obrigatório, andei meses a comer frango e ovos, meses a comer verdura colhida nos quintais e quintas abandonadas...só sei que gatos e cães vadios e abandonados por quem fugiu...nem isso já havia na rua. Eu não comi mas sei de familias que se alimentaram com carne de cão e gato.

Com tanto problema na vida...vou-me aborrecer com quem trata dos gatos? se tratam que assumam.

Xistosa (josé torres)
é verdade sim senhora e apenas e tão só até onde chegam os meus braços.

Lb
obrigado:)

Beijocas e para todos um resto de dia feliz

27/6/08 18:06  
Blogger Paulo said...

Passei só para dizer: Miauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu ....
:))
Beijinho especial

27/6/08 20:53  
Blogger Fatyly said...

Paulo
Miauuuuuuuuuuuu:)

Beijocas

27/6/08 21:06  
Blogger Paulo said...

Fatyly
Queira apresentar-se com urgência no Sidadania II, onde decorre uma vistoria, a si (ti) própria.
Beijinho especial.

27/6/08 22:31  
Blogger Coragem said...

Muito bem atribuido o galardão, aliás estes dois meninos sabem bem o que fazem :)

Por tudo o que és, nem tanto pelo que demonstras ser.

Beijinho

27/6/08 23:18  
Blogger Fatyly said...

Paulo
Já lá fui e fiquei tão emocionada, oh rapaz obrigado mas também tenho aprendido tanto com todos vós. Fui apanhada de surpresa e nem sei bem o que dizer, mas vou fazer o que fazia a tantos colegas no recreio da hora do almoço: deita a tua cabeça no meu colo e faço-te um cafuné:)

Um abração do tamanho excato do teu coração

27/6/08 23:30  
Blogger Fatyly said...

Coragem
obrigado pelas tuas palavras e tu também és merecedora do que "esses fizeram":)

Um xicoração

27/6/08 23:48  
Blogger minucha said...

Parabéns Fatyly
Não podia ser mais bem entregue

beijinho

28/6/08 02:09  
Blogger Fatyly said...

Minucha
Obrigado:)

Beijocas

28/6/08 07:31  
Blogger instantes e momentos said...

lindo o teu blog, parabens.Vou voltar sempre
Maurizio

28/6/08 10:32  
Blogger Fatyly said...

instantes e momentos
entra e assenta-te no chão de areia da minha cubata, sem portas, nem janelas e fica à vontade.

Um beijo e um resto de sábado feliz

28/6/08 11:36  

Enviar um comentário

<< Home